Notícias

Sintomas de COVID-19 persistem por 6 meses em metade dos jovens adultos que contraem a doença

Em estudo, mais de 50% dos jovens com até 30 anos apresentaram diminuição da concentração e problemas de memória, entre outros sintomas.
covid

Créditos: Pixabay

Sintomas de coronavírus podem persistir por seis meses depois da infecção aguda, mesmo em pessoas jovens que seguem o isolamento social, aponta estudo publicado na prestigiosa revista Nature Medicine. O trabalho desenvolvido pelo Bergen COVID-19 Research Group acompanhou pacientes infectados durante a primeira onda pandêmica na cidade norueguesa Bergen.

“A principal novidade é que mais de 50% dos jovens com até 30 anos ainda sofrem sintomas persistentes seis meses após apresentarem sinais leves e moderados da doença.”, explicou a líder do grupo, professora Nina Langeland. Ela ainda ressalta que esses pacientes permaneceram isolados em casa e não teriam contraído o coronavírus novamente.

++LEIA MAIS

Diferença de gravidade dos sintomas da COVID-19 poderia ser explicada pelo sistema imunológico

Defesas do organismo contra COVID-19 após infecção podem durar oito meses ou mais

Os sintomas de COVID mais comuns entre os indivíduos estudados foram perda de olfato e / ou paladar, fadiga, falta de ar, diminuição da concentração e problemas de memória.

“Houve uma correlação significativa entre altos níveis de anticorpos e sintomas em pacientes isolados em casa. Outros fatores de risco para os sintomas eram asma ou outra doença pulmonar crônica.”, disse a professora Rebecca Cox, chefe do Centro de Influenza da Universidade de Bergen e do Hospital Universitário Haukeland e co-líder do grupo de pesquisa.

Problemas de memória e dificuldades de concentração

Em relação a pacientes não hospitalizados, 30% experimentaram fadiga, que foi o sintoma mais comum. Crianças menores de 16 anos apresentaram menos sintomas a longo prazo do que adultos. Mas o professor Bjørn Blomberg, e autor principal do artigo, ressalta:

“Os sintomas cognitivos de perda de memória e dificuldades de concentração são particularmente preocupantes para os jovens na escola ou universidade. Isso destaca a importância da vacinação a fim de prevenir as implicações da COVID-19 na saúde a longo prazo”.

Utilizamos cookies essenciais para proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de privacidade.

Política de privacidade